EQUINOS

Cromo Orgânico na Nutrição de Equinos

23/04/2019

Por Msc. Mayara Clepf Bailoni Santos

Médica Veterinária e Mestre em Nutrição e Produção Animal (CRMV/SP 30279)

Gerente de Controle de Qualidade – Qualy Nutrição Animal

Os minerais orgânicos estão sendo muito utilizados na nutrição de equinos, trazendo benefícios e suas principais funções são: fornecimento de energia, maior aproveitamento da dieta e a manutenção e crescimento dos tecidos corporais. Estes fatores são considerados de grande importância na correta mineralização dos animais, especialmente em fase de crescimento.

Nesta revisão, vamos dar destaque ao mineral orgânico Cromo (Cr), que traz significativos benefícios como: potencialização dos efeitos da insulina e, desse modo, altera o metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos; redução dos problemas de musculatura (fadiga muscular); melhoria do sistema imune; diminuição do estresse e ao mesmo tempo estimulação do potencial do animal.

O Cromo (Cr) é um micromineral que ocorre nas valências de -2 a +6, sendo a forma hexavalente (Cr6+) ligada a problemas de toxidade, como ulceração nasal e bronquite crônica após inalação. A forma trivalente (Cr3+) é a que realmente interessa nutricionalmente, sendo mais estável, de baixa toxicidade e de maior margem de segurança (McDowell, 1992).

O fornecimento de Cr na dieta de equinos submetidos a uma atividade atlética pode trazer benefícios, pois ao fazer parte da cromodulina, pode potencializar os efeitos da insulina e aumentar a tolerância à glicose, alterando o metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos (NRC, 1997).

Diversos experimentos comprovam que o Cromo na forma orgânica promove em cavalos jovens e em treinamento maior ganho de massa muscular e menor armazenamento de gordura, comprovando que este mineral estimula o crescimento músculo-esquelético e maior resposta aos exercícios intensos. Também proporciona aumento de tecido muscular, devido à maior eficiência metabólica da glicose e aminoácidos derivados dos alimentos para ser utilizados por tecidos muito ativos.

Outra vantagem da suplementação com Cromo Orgânico está na redução da liberação de ácido lático, que impede a acumulação de lactato, causador de fadiga muscular. Para cavalos de alta performance é muito importante, pois reduz o cortisol plasmático, que durante períodos de estresse, eleva a glicose no sangue. Mesmo quando submetidos a situações de estresse, os cavalos bem suplementados com Cromo Orgânico apresentam melhor aproveitamento em peso corporal e na resposta imunológica, como consequência o melhor desempenho metabólico durante longos períodos de exercícios.

Bibliografia Consultada:

Andriguetto, J.M.; Perly, L.; Minardi, I.; Gemael, A.; Flemming, J.S.; Souza, G.A.; Filho, A.B. Nutrição animal, as bases e os fundamentos da nutrição animal. Nobel. 4ª Ed, 1988.

Lewis, L.D. Nutrição clínica eqüina. Alimentação e cuidados. São Paulo: Editora Roca, 2000.

National Research Council – NRC. 1997. The Role of Chromium in Animal Nutrition. The National Academies Press, Washington, p.96.

McDowell L.R. 1992. Minerals in animal and Human Nutrition. San Diego: Academic Press, San Diego. p.524.

Mertz W.E., Roginski E.E. & Schroeder H.A. 1965. Some aspects of glucose metabolism of chromium deficient rats raised in a strictly controlled environment. J. Nut. 86:107-112.

Pagan, J.D.; Jackson, S.G.; Duren, S.E. supplementation on metabolic response to exercise in thoroughbred horses. Disponível em: http://www.ker.com/library/advances/130.pdf

Vincent J.B. 2000. The biochemistry of chromium. J. Nutr. 130:715-718.